28 de fevereiro de 2011

"My Movie Tracks" - Ana Matos

Hoje é a vez de serem as escolhas do Top10 do "My Movie Tracks" da Ana Matos, uma amante de cinema.
Fica aqui então o Top10 dela.

(AVISO: O texto e/ou os links, poderão ter spoilers)

TOP 10 - "My Movie Tracks"
10- "O Piano" (The Piano); 1993; Jane Campion
"The Heart Asks Pleasure First" - Michael Nymann
"The Heart Asks Pleasure First": acho que também é daqueles exemplos que não falha, quer se tenha visto ou não o filme. Até porque eu já associava a música ao filme ainda antes de o ter visto (e acho que não era só por ter aprendido a tocar a música antes). Ouvem-se as primeiras notas, e PIMBA: "The Piano" vem logo a cabeça.

9- "Chapéu Alto" (Top Hat); 1935; Mark Sandrich
"Cheek to Cheek" - Irving Berlin / Fred Astaire
"Cheek to Cheek": foi uma escolha que considero interessante... é que é a música que mais facilmente associo à publicidade dos iogurtes Adagio do que ao filme, simplesmente porque a música me ficou no ouvido dos anúncios, antes de eu ter visto "Top Hat". Quando vi o filme, achei curioso perceber que aquela música estava na banda sonora, e claro que agora a associação é imediata (apesar de ainda não me conseguir abstrair totalmente dos iogurtes:P eheh). Para quem conhece o filme, pode ser que tenha uma experiência semelhante a mim, e associe facilmente.


8- "Pocahontas" (Pocahantas); 1995; Mike Gabriel & Eric Goldberg
"Colors of the Wind" - Alan Menken / Judy Kuhn
"Colors of the Wind": adoro tocar no piano, na guitarra, cantar, ouvir, e tudo e tudo. Esta música tem uma magia muito especial para mim, e, com o egocentrismo característico do ser humano, tenho tendência a acreditar que tem para toda a gente:P Mas acho que é de fácil associação para todos


7- "(500) Dias com Summer" ((500) Days of Summer); 2009; Marc Webb
"Us" - Regina Spektor
"Us": não é uma associação tão óbvia. Penso que é preciso ter visto o filme, e ter gostado dele o suficiente para mais tarde recordar. Se for esse o caso, esta música acho que também é memorável o suficiente, e não a ouço sem pensar no filme.


6- "Donnie Darko" (Donnie Darko); 2001; Richard Kelly
"Mad World" - Gary Jules
"Mad World": é mais uma que escolhi mais por razões pessoais ("Donnie Darko" acho que é o filme que tenho que incluir em todo o tipo de desafios que se relacionem com cinema). Admito que talvez seja preciso ver o filme para associar, mas uma vez que se tenha visto penso que não falha;)


5- "O Desafio do Guerreiro" (Braveheart); 1995; Mel Gibson
"For the Love of the Princess" - James Horner
"For the Love of a Princess": é mais ou menos uma justificação parecida com a música que escolhi para o "Titanic", mas esta associa-se nas primeiras notas, sem dúvida. Grita "Braveheart" o tempo todo:P


4- "Boneca de Luxo" (Breakfast at Tiffany's); 1961; Blake Edwards
"Moon River" - Henry Mancini / Audrey Hepburn
"Moon River": Não poderia deixar de fora esta, pelo significado forte que tem para mim:) No entanto, não considero que tenha uma associação fácil para toda a gente. Terá, sim, para quem conhece o filme e para quem gosta de cinema e vai sabendo uns fun facts, mesmo que não tenha visto o filme:)


3- "O Feiticeiro de Oz" (The Wizard of Oz); 1939; Victor Fleming
"Somewhere Over the Rainbow" - Judy Garland
"Over the Rainbow": Esta também é das óbvias. Acho que mesmo quem nunca viu o filme, ouve a música e associa logo.


2- "Titanic" (Titanic); 1997; James Cameron
"Rose's Theme" - James Horner
"Rose's Theme": Esta toda a gente associa, não tenho dúvidas. As primeiras notas são mais para conhecedores do fundo, mas quando começa aquela parte que é uma espécie de "My Heart Will Go On" instrumental, não me parece que exista alma que não pense logo no filme em questão:)


1- "Gangs de Nova Iorque" (Gangs of New York); 2002; Martin Scorcese
"Hands That Built America" - U2
"Hands That Built America": Escolhi pq é de uma banda de que gosto muito, e tanto o título da música como o som apontam directamente para o filme:)

ATENÇÃO: Para verem os videos, clicar no nome da canção/música.

Estas foram as escolhas da Ana Matos e agora, quero saber o que pensam vocês sobre estas escolhas?

26 de fevereiro de 2011

"My Movie Tracks" - Pedro Amorim

Hoje é a vez de serem as escolhas do Top10 do "My Movie Tracks" do Pedro Amorim, um apreciador de filmes e que "discute" diariamente, os filmes que vemos em conjunto.
Fica aqui então o Top10 dele.

(AVISO: O texto e/ou os links, poderão ter spoilers)

TOP 10 - "My Movie Tracks"

Começo por dizer que este Top 10 devia ser um Top 40 ou 50, devido à dificuldade que tive em escolher as músicas, porque são tantas e tão boas, que foi dificil resumir só para 10, como todos deverão entender (por terem passado pela mesma dificuldade).

10- "Ases Indomáveis" (Top Gun); 1986; Tony Scott
"Take My Breath Away" - Berlin
Aviões, motas e a escaldante (no seu tempo) Kelly McGillis. Tudo isto faz Top Gun. Esta canção faz-nos querer tirar o fôlego a alguém ou alguém a nós - tanto faz.

9- "Notting Hill" (Notting Hill); 1999; Roger Michell
"Ain't No Sunshine" - Bill Withers
Um filme excelente que junta dois (muito) bons actores. Gosto desta música em particular, porque eu e concerteza voçês também já devem ter tido “crappy days” como o que se passa nesta cena (com a respectiva canção) com o William Tucker.

8- "Perto Demais" (Closer); 2004; Mike Nichols
"The Blowers Daughter" - Damien Rice
Para mim uma das aberturas mais marcantes do cinema, com a belissima Natalie Portman a fazer um papel extraordinário. 

7- "Saw - Enigma Mortal" (Saw); 2004; James Wan
"Hello Zepp" - Charles Clouser
Este filme é especial para mim, porque fiz um trabalho sobre o mesmo - e venceu o prémio de melhor argumento no Fantas, com mérito, nao é todos os dias que alguem escreve/produz um filme que “brinca” de uma forma perversa com o ser humano.
E um tipo no chão que parece morto e no fim se levanta - pergunto-me como é que os “prisioneiros” deste filme nunca ouviram um respirar ou um gás mais afoito?
Seria do pânico?

6- "Resident Evil" (Resident Evil); 2002; Paul W.S. Anderson
"The Fight Song (Slipknot Remix)" - Marilyn Manson
Tiros, porrada, zombies e Mila Jovovich - tudo isto faz Resident Evil, filme do jogo igulamente fantástico. Tudo isto faz com que esta canção seja uma das muitas que significa que vem aí "fight" - se já não estiver a haver.

5- "A Vida Não é Um Sonho" (Requiem for a Dream); 2000; Darren Aronofsky
"Summer Overture" - Clint Mansell
Um filme pertubador, com uma música genial que o acompanha. Uma viagem ao fundo do poço onde vemos até onde um ser humano pode bater fundo, por causa das drogas. Um filme “Fucked Up” e recomendo-o, mas por favor, não o vejam com o “mood” em baixo.

4- "Vamos Dançar?" (Shall We Dance); 2004; Peter Chelsom
"Santa Maria (Del Buen Ayre)" - Gotan Project
Não tenho palavras para descrever esta música e este filme, especialmente, quando a Jennifer Lopez dança ao som desta música com o Richard Gere. Para mim eles não dançam ao som desta música, mas fazem “o amor” através da mesma.

3- "O Carteiro de Pablo Neruda" (Il Postino); 1994; Michael Radford
"Il Postino" - Luis Bacalov
Remete-nos logo para a imagem de um carteiro iletrado a subir por um monte acima, para entregar ao poeta Pablo Neruda o seu correio e que mais tarde viria a ser seu amigo, um filme mágico!

2- "A Guerra das Estrelas" (Star Wars); 1977; George Lucas
"Star Wars Main Title" - John Williams
Esta dispensa apresentações. Quando ouvimos esta música dirigida pelo grande John Williams remete-nos logo para a breve apresentação do que se vai passar neste (ou nestes) épicos filmes de Lucas, que nunca nos deixam indiferentes. É "Star Wars" e mais não digo!

1- "Amor ou Consequência" (Jeux d'enfants); 2003; Yann Samuell
"La Vie en Rose" - Louis Armstrong
Este tinha de vir em primeiro, pois tornou-se um dos meus filmes favoritos - só a autora do blog entende o porquê.
Quanto à canção, é uma cover muito bem conseguida de Louis Armstrong, que quando a ouço associo sempre ao filme.

Desde já agradeço que não sejam duros nos comentários, porque eu não tenho um blog de filmes, mas sou um mero visonador de filmes e ainda mais apreciador das suas bandas sonoras, obrigado!

ATENÇÃO: Para verem os videos, clicar no nome da canção/música.

Estas foram as escolhas do Pedro Amorim e que pensam vocês sobre estas escolhas?

25 de fevereiro de 2011

"My Movie Tracks" - João Bastos

Hoje é a vez de serem as escolhas do Top10 do "My Movie Tracks" do João Bastos, autor do ex-blog Revolta da Pipoca - agora só no Facebook.
Fica aqui então o Top10 dele.

(AVISO: O texto e/ou os links, poderão ter spoilers)

TOP 10 - "My Movie Tracks"

10- "Crueldade Intolerável" (Intolerable Cruelty); 2003; Joel & Ethan Coen
"Suspicious Minds" - Elvis Presley (não consegui o link respectivo do filme)
Esta é das minhas canções favoritas. E há muitos filmes que a têm na banda-sonora. Lembrei-me deste como me poderia ter lembrado por exemplo de "Cercados".

9- "Homem na Lua" (Man on the Moon); 1999; Milos Forman
"Man on the Moon" - R.E.M. (não consegui o link respectivo do filme)
REM é um dos grandes grupos dos anos 80 e 90. Esta música acompanha o genial filme!

8- "Armageddon" (Armageddon); 1998; Michael Bay
"I Don't Wanna Miss a Thing" - Aerosmith
Opa, sou um lamechas que gostou muito do filme. A composição dos Aerosmith é muito boa!

7- "O Meu Primeiro Beijo" (My Girl); 1991; Howard Zieff
"My Girl" - The Temptations
Porque é a música que quero quando casar. E é um dos meus filmes favoritos!

6- "O Fabuloso Destino de Amélie" (Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain); 2001; Jean-Pierre Jeunet
"La Valse d'Amélie" - Yann Tiersen
É preciso mesmo explicar?? Yann Tiersen é um génio que bastava ter composto esta banda sonora e não fazer mais nada da vida.

5- "O Rei Leão" (The Lion King); 1994; Roger Allers & Rob Minkoff
"Can You Feel the Love Tonight" - Elton John
Porque o Elton John nunca fez nada tão bom como a banda sonora desta maravilha!

4- "Robin Hood: Principe dos Ladrões" (Robin Hood: Prince of Thieves); 1991; Kevin Reynolds
"(Everything I Do) I Do It For You" - Bryan Adams
O primeiro filme que vi no cinema tinha de estar aqui representado com este clássico dos karaokes!

3- "Titanic" (Titanic); 1997; James Cameron
"My Heart Will Go On" - Celine Dion
Confesso que não suporto a Celine Dion. Nem é a música propriamente dita, mas quando é orquestrada ao longo do filme é lindo!

2- "Pulp Fiction" (Pulp Fiction); 1994; Quentin Tarantino
"Girl, You'll Be a Woman Soon" - Urge Overkill
A cena em que passa a música com Uma Thurman a cometer umas ilegalidades fica para a história... Com esta música por trás é de antologia!

1- "Quanto Mais Idiota Melhor" (Wayne's World); 1992; Penelope Spheeris
"Bohemian Rhapsody" - Queen
Porque é a melhor música de todos os tempos. E tenho dito!

ATENÇÃO: Para verem os videos, clicar no nome da canção/música.

Estas foram as escolhas do João Bastos, agora resta saber o que pensam vocês destas escolhas?

24 de fevereiro de 2011

"My Movie Tracks" - A Última Sessão

Hoje é a vez de serem as escolhas do Top10 do "My Movie Tracks" do Projeccionista do blog A Última Sessão.
Fica aqui então o Top10 do Projeccionista.

(AVISO: O texto e/ou os links, poderão ter spoilers)

TOP 10 - "My Movie Tracks"

Criar listas é das tarefas mais difíceis que há, mas ver o resultado final e compará-las com outras pessoas dá sempre um gozo inquestionável. Quando comecei a fazer esta lista fui pensando em músicas que entram em filmes e que de uma forma ou outra, para o bem e para o mal, me marcaram. Fui tirando algumas até restarem estas 10 músicas, todas pertencentes a filmes que vi, uns gosto, outros nem por isso. Mas no essencial são músicas que gosto. Tentei ter músicas de todas as épocas e incluir pelo menos uma portuguesa. Esta por pertencer a um filme que gosto bastante e por ser de uma banda criada por membros de outras bandas que se dedicaram a criar bandas sonoras.

10- "O Último Grande Herói" (Last Action Hero); 1993; John McTiernan
"Big Gun" - AC/DC

9- "O Jogo" (The Game); 1997; David Fincher
"White Rabbit" - Jefferson Airplane

8- "Matrix" (The Matrix); 1999; Andy & Lana Wachowski
"Wake Up" - Rage Against The Machine

7- "Trainspotting" (Trainspotting); 1996; Danny Boyle
"Born Slippy" - Underworld

6- "Os Tenenbaums: Uma Comédia Genial" (The Royal Tenenbaums); 2001; Wes Anderson
"Needle in the Hay" - Elliot Smith

5- "Em Paris" (Dans Paris); 2006; Christophe Honoré
"Cambodia" - Kim Wilde

4- "O Despertar da Mente" (Eternal Sunshine of the Spotless Mind); 2004; Michael Gondry

3- "Esquece Tudo o Que Te Disse" (Esquece Tudo o Que Te Disse); 2002; António Ferreira
"Esquece Tudo o Que Te Disse" - Azembla's Quartet

2- "Easy Rider" (Easy Rider); 1969; Dennis Hopper
"Born To Be Wild" - Steppenwolf

1- "Cães Danados" (Reservoir Dogs); 1992; Quentin Tarantino
"Stuck in the Middle With You" - Stealers Wheel

Os clássicos foram «Born To Be Wild», um hino incontornável do cinema do final dos anos 1960, na ressaca dos hippies, «Stuck In the Middle With You», uma música que acaba por ter, de certa forma, um papel numa das cenas fundamentais de «Cães Danados», e «White Rabbit», talvez a música que mais tenho encontrado em bandas sonoras. Escolhi a sua presença em «O Jogo» porque foi a primeira vez que a conheci e ouvi e também porque está bem inserida na cena em que aparece.
Dos anos 1980, época que musicalmente não me deixou muitas saudades, escolhi apenas «Cambodia», que está numa das melhores cenas de «Em Paris». A «Everybody's Gotta Learn Sometimes» também é dos anos 1980, apesar de no filme de Michel Gondry ter sido recriada por Beck. Aqui a razão para a escolha foi em pleno: gosto da música, do filme e do artista.

As restantes quatro são todas dos anos 1990. A «Big Gun» é uma espécie de guilty pleasure meu. AC/DC com Arnold Schwarzenneger é uma mistura explosiva. E o filme é delicioso: quem é que se lembraria de meter o ex-governador da Califórnia lado a lado com uma personagem de Bergman? «Born Slippy» e «Wake Up» são duas músicas que pertencem a dois filmes que marcaram a última década do século XX: a primeira surge no início da década e faz parte da banda sonora de «Trainspotting», representa bem o espírito de uma era em que as raves eram rainhas no Reino Unido (neste filme estive indeciso entre esta e uma de Iggy Pop, o ídolo das personagens do filme, mas optei por «Born Slippy» por ser mais reconhecida; a segunda escolha recaiu numa música de uma banda que aprecio bastante e por me lembrar perfeitamente de, quando vi «Matrix» no cinema, ter delirado com os meus amigos quando começou a «Wake Up» começa a tocar no início do genérico. Terá sido aí que comecei a prestar mais atenção aos créditos finais, para tentar identificar as músicas que ouvi? Não sei, mas é bem possível.

Para finalizar «Needle In The Hay». Está aqui porque tinha de escolher uma música do meu filme preferido - «Royal Tenenbaums», do magnífico Wes Anderson - e porque aparece numa das cenas que mais me marcou no filme. Além de ser uma bela música.

Espero que gostem desta jukebox cinéfila e que, apesar de ter algumas músicas conhecidas, sirva também para conhecerem coisas novas.

ATENÇÃO: Para verem os videos, clicar no nome da canção/música.

Estas foram as escolhas do Projeccionista e que pensam vocês destas escolhas?

23 de fevereiro de 2011

"My Movie Tracks" - Ecos Imprevistos

Hoje calhou a vez de serem as escolhas do Top10 do "My Movie Tracks" do Armindo Paulo Ferreira do blog Ecos Imprevistos.
Aqui está então o Top10 do Armindo - de salientar que ele colocou as suas escolhas pela ordem de ano dos filmes, daí começar com o que ele terminou.

(AVISO: O texto e/ou os links, poderão ter spoilers)

TOP 10 - "My Movie Tracks"

Ora bem, sendo pedido apenas e somente 10 momentos musicais que me representem imediatamente os respectivos filmes, optei por entregar um misto de temas icónicos e ainda algumas canções.

10- "Miami Vice" (Miami Vice); 2006; Michael Mann
"One of These Mornings" - Moby & Patti Labelle
Para terminar, uma escolha cujo significado é me enorme pois esta canção significa-me não só todo o filme mas especialmente o dilema interno de foro romântico entre as duas personagens de Miami Vice, que sabem não poderem acabar juntos, por estarem em lados opostos... Patti LaBelle canta nesta canção de Moby, substituindo os samples e com isso deu uma nova dimensão ao desalento e sofrimento que combina na perfeição com a situação extra que Miami Vice apresentou.

9- "The Matrix Reloaded" (The Matrix Reloaded); 2003; Andy & Lana Wachowski
"Main Titles" - Don Davis
Mal se faz soar, este tema coloca-nos dentro da (saga) Matrix. Acho esta versão do Reloaded bastante icónica.

8- "Ocean's Eleven - Façam as Vossas Apostas" (Ocean's Eleven); 2001; Steven Soderbergh
"69 Police" - David Holmes
David Holmes ergueu uma enebriante banda-sonora toda ela cool que acentua e dá ainda mais pinta a Ocean's 11. "69 Police" é um daqueles temas que para mim sintetiza as imagens que ilustrou... e depois tem um groove viciante.

7- "O Senhor dos Anéis: A Irmandade do Anel" (The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring); 2001; Peter Jackson
"May It Be" - Enya
Enya encarna nesta canção o "sumo" de uma obra grandiosa, que consegue ainda partilhar notas musicais do tema principal de Lord of the Rings. Um belo e memorável 2-em-1!

6- "Disponível Para Amar" (In the Mood For Love); 2000; Wong Kar Wai
"Yumeji's Theme" - Shigeru Umebayashi
O brilhante tema "Yumeji`s Theme" representa na perfeição um filme perfeito. Uma obra de arte a reforçar uma outra obra de arte.

5- "A Última Caminhada" (Dead Man Walking); 1995; Tim Robbins
"The Long Road" - Eddie Vedder & Nusrat Fateh Ali Khan
Nusrat Fateh Ali Khan carrega no seu canto toda uma paleta de emoções aprisionadas, que ilustram na perfeição toda a angústia, revolta e dúvida que atravessa este magnifico filme, que tem para mim a melhor interpretação de Sean Penn

4- "Pulp Fiction" (Pulp Fiction); 1994; Quentin Tarantino
"Misirlou" - Dick Dale & His Del-Tones
Tarantino, Tarantino... só dos filmes dele daria para rapidamente se fazer um top 10 tarantinesco. Desde temas a canções de todos os géneros, estilos e proveniência... e ainda haveria abundância. Reduzir tudo isso a um único tema é que é dificil mas acredito que alguns segundos de "Misirlou" servirá para muita gente identificar que se está perante um filme dele... ainda para mais o mais célebre e uma obra-prima!

3- "História Interminável" (The Never Ending Story); 1984; Wolfgang Petersen
"Never Ending Story" - Limahl
Esta é uma canção do filme com o mesmo nome mas totalmente indissociável tanto do filme, como de uma época que considero muito boa em fazer belas canções pop para filmes. Esta tem a particularidade de sobreviver melhor que o filme em si... e adoro-a desde sempre!

2- "Super-Homem" (Superman); 1978; Richard Donner
"Main Theme" - John Williams
Nunca ficaria satisfeito se o género dos comic-movies de super-heróis não estivesse presente numa lista minha mas o tema de Superman é um daqueles históricos e incontornáveis. (O tema do filme "Batman" de Tim Burton, é igualmente excepcional mas o do Super é mágico.)

1- "2001: Odisseia no Espaço" (2001: A Space Odyssey); 1968; Stanley Kubrick
"Also Sprach Zarathustra" - Richard Strauss
O tema de Strauss em "2001 - Odisseia no espaço", é marcante e carrega com ele um tom de "bigger than life" tal como é o filme.

ATENÇÃO: Para verem os videos, clicar no nome da canção/música.

E foram então as escolhas do Armindo. O que pensam vocês destas escolhas?

22 de fevereiro de 2011

"My Movie Tracks" - Split Screen

Hoje calhou a vez de serem as escolhas do Top10 do "My Movie Tracks" da Ana Alexandre do blog Split Screen. Aproveito para informar, que quem gosta de cinema e televisão tem aqui um blog muito bom para seguir e os autores do mesmo são uma simpatia.
Mas aqui vai então o Top10 da Ana.

(AVISO: O texto e/ou os links, poderão ter spoilers)

TOP 10 - "My Movie Tracks"

10- "Moulin Rouge!" (Moulin Rouge!); 2001; Baz Luhrmann
"Your Song" - Ewan McGregor
Se calhar a culpa é do Ewan McGregor, vou ser honesta, há qualquer coisa de muito fascinante em ver o Obi-Wan Kenobi a cantar Elton John. Nunca é fácil refazer um clássico de modo a parecer uma canção totalmente nova ou até melhor que a original, mas de algum modo conseguiram-no com esta musica. Provavelmente será também por culpa do coro que não só contribui para a música como a engrandece. É uma música que, acima de tudo, nos transporta para a efusividade com que ele via o romance, a sua entrega total.

9- "O Sonho de Cassandra" (Cassandra's Dream); 2007; Woody Allen
"Cassandra's Dream" - Philip Glass
É impossível ficarmos indiferentes ao modo como esta música começa, tão forte e com apenas cordas. Arrebata-nos imediatamente para o filme que, embora não seja dos meus preferidos de Allen, tem uma das bandas sonoras mais adequadas. Philip Glass é normalmente (re)conhecido principalmente pelo seu grande trabalho em The Hours, mas consigo considerar que este trabalho é mais majestoso por tê-lo feito sair da sua zona de conforto, o piano. A música dá-nos imediatamente um clima tenso, agitado, mas com alguma beleza e harmonia por detrás. Essencialmente, dá-nos o filme em poucas notas.

8- "O Fabuloso Destino de Amélie" (Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain); 2001; Jean-Pierre Jeunet
"Soir de Fête" - Yann Tiersen
Esta é provavelmente uma das bandas sonoras mais conhecidas, nem que seja pelo facto dos canais televisivos portugueses terem engraçado com ela e terem-na posto em quase todas as reportagens que fizeram desde essa altura. Ainda assim, é uma banda sonora incontornável e um dos grandes trabalhos de Yann Tiersen e, embora actualmente tenham sido feitas algumas bandas sonoras , esta foi absolutamente genial na sua concepção instrumental. Nota-se um pouco o espírito de Amèlie Poulain a cada nota, o modo diferente como via o mundo que é reflectido pelo modo como cada nota foi tratada.

7- "O Rei Leão" (The Lion King); 1994; Roger Allers e Rob Minkoff
"Circle of Life" - Hans Zimmer
Ninguém precisa de mais de 3 segundos para identificar a que filme pertence esta. É uma das melhores introduções de sempre (se não a melhor) em filmes da Disney e a música é também das mais conhecidas do repertório dos filmes daqueles estúdios. E obviamente que, sendo eu, tinha de estar presente nesta lista uma música de filmes de desenhos animados. Não só imediatamente nos situa no ambiente africano como também à liberdade e harmonia que reinavam.

6- "Chicago" (Chicago); 2002; Rob Marshall
"Cell Block Tango" - Catherine Zeta-Jones & The Cell Block Girls
De todas as músicas presentes no filme, esta é claramente a mais marcante pela sua intensidade e inclusão lógica no filme e progresso do argumento. Contraria um pouco a melancolia e efusividade das restantes músicas e ao mesmo tempo incorpora os dois estilos em determinados momentos. Além disso transporta-me imediatamente para a cena de dança e é impossível dissociar a música da coreografia. É uma representação da realidade do filme vista por quem de interesse: as presas. A visão delas do que se passou, a qualidade justificável dos seus actos, o papel de vítima que as levou a cometer tal erro.

5- "O Amor é Um Lugar Estranho" (Lost in Translation); 2003; Sofia Coppola
"More Than This" - Bill Murray
Não consigo ouvir esta música sem a associar de imediato à cena do karaoke no filme e é exactamente isso que esta iniciativa pede. É uma das cenas mais conhecidas do filme (quem não se lembra de Scarlett Johansson com a peruca cor-de-rosa?) e a música é imediatamente associada a esse momento de libertação, quase o único em todo o filme. Para mim não é um filme onde a banda sonora tenha grande destaque, mas de facto não consigo evitar lembrar-me de imediato da cena a que pertence.

4- "Perto Demais" (Closer); 2004; Mike Nichols
"The Blowers Daughter" - Damien Rice
Acho que não existe ninguém que, ao ouvi-la, não se lembre de imediato da cena inicial do filme, da Natalie a destacar-se do meio da multidão e do "Hello stranger". Não havia melhor música para iniciar o filme e para aquela cena em concreto, mesmo a nível de letra. As músicas de Damien Rice têm sempre o lado melancólico e adequa-se perfeitamente ao filme.

3- "Um Homem Singular" (A Single Man); 2009; Tom Ford
"Carlos" - Shigeru Umebayashi
Esta é outra OST que se pudesse vinha toda parar aqui. Todo o filme é altamente concentrado no lado estético, como seria óbvio vindo de quem vem, mas a cena do encontro com Carlos foi uma experiência visual única. E além de visual, a música complementou-a de tal forma que parecia quase nem ter sido composta para o filme, mas sim sair naturalmente da própria cena.

2- "Kill Bill: Vol.1" (Kill Bill: Vol.1); 2003; Quentin Tarantino
"Twisted Nerve" - Bernard Herrmann
Poderia ter escolhido inúmeras músicas deste(s) filme(s), mas a verdade é que nenhuma me impressionou tanto como esta. A cena de Elle Driver vestida de enfermeira a andar por aquele corredor fora e a assobiar esta música é das que me recordo com maior precisão. É impressionante como a música parece ter sido escrita para a cena, embora o mais provável é a cena ter realmente sido escrita para a música, uma vez que cada momento encaixa tão bem a cada acorde.

1- "O Padrinho" (The Godfather); 1972; Francis Ford Coppola
Acho difícil justificar esta escolha porque é O Padrinho, e O Padrinho não se explica. Bastam as primeiras notas para que, com ela, sejamos transportados para a Família e para todo o ambiente da América dos anos 40.

ATENÇÃO: Para verem os videos, clicar no nome da canção/música.

E foram então as escolhas da Ana. O que pensam vocês delas?

A Vida de Brian

Brian nasce na porta do estábulo ao lado da de Jesus e é desde o dia em que ambos nasceram que vai ser, constantemente, confundido com o Messias.
Depois de se juntar com um grupo politico anti-Romano, Brian é perseguido por multidões que crêem que ele é o Profeta e ele não o é, nem quer ser.
Será que vai conseguir com que o deixem de perseguir?




Este segundo filme feito pelo famoso grupo britânico, Monty Python (já é o terceiro que vi) foi um bom filme que satiriza a época de Jesus Cristo e a crença num Messias, critica o ser humano que precisa de acreditar em algo poderoso e mesmo a fazer asneiras, Brian é adorado e perseguido por uma multidão que repete tudo o que ele diz e faz (só porque ele é o Messias - logo está correcto).
Tem muitas cenas engraçadas, como a cena de apedrejamento, a cena da descoberta do Messias (Brian) pelo povo e a cena final - o filme acaba em grande com a canção "Always Look on the Bright Side of Life", que nos fica imediatamente no ouvido.
Filme bom - mas mais fraco que "Monty Python e o Cálice Sagrado" - mas que aconselho a todos.

NOTA: 7/10

A Vida de Brian (Life of Brian)
Realizador: Terry JOnes
Interpretes: Graham Chapman; John Cleese; Michael Palin;...
Definições: 94 min. / Cor / 1979 - UK

21 de fevereiro de 2011

"My Movie Tracks" - Os Filmes da Gema

Ora bem! Hoje é dia 21 e como prometido, vou começar a minha iniciativa "My Movie Tracks".
Agradeço desde já a todos que participaram e devo dizer-vos que adorei as vossas escolhas. Confesso que muitas delas não estava á espera, outras era claro que seriam escolhidas e também que fiquei a conhecer algumas que não conhecia.

O Top10 de hoje é o meu, pois não sabia quem haveria de escolher para "inaugurar" esta iniciativa, por isso decidi que seria eu e acabei por "sortear" a sequência de quem irá ser escolhido (não fosse eu ser tentada a escolher algum que gostasse mais ou menos).

O meu critério para as minhas escolhas foi, o de escolher músicas/canções que não foram escolhidas por nenhum dos outros participantes, para de certa forma dar hipótese ás mesmas e como é óbvio sem descurar o critério que vos foi imposto - músicas/canções que de imediato vos faz lembrar determinado filme. Foi dificil a escolha, como todos vós sabem, por experiência própria, mas aqui vai...

(AVISO: O texto e/ou os links, poderão ter spoilers)

TOP 10 - "My Movie Tracks"

10- "O Talentoso Mr. Ripley" (The Talented Mr. Ripley); 1999; Anthony Minghella
"Tu Vo' Fa' l'Americano" - Rosario Fiorello, Jude Law e Matt Damon
Escolhi este tema, porque desde que vi este filme, esta canção nunca me saiu da cabeça. Aliás, dou por mim muitas vezes a cantá-la e a lembrar-me da cena em que eles a cantam.
É impossivel ouvir esta canção sem a associar de imediato a este filme.

9- "O Véu Pintado" (The Painted Veil); 2006; John Curran
"A La Claire Fontaine" - Les Petits Minous
Adorei este filme e esta canção é deliciosa e depois de a ouvir jamais me saiu da cabeça. Não sei se por ser tão bonita, se por estar associada a um momento tão delicado e triste do filme, mas ouvi-la, faz logo saltar á minha cabeça este filme.

8- "Reencontrar o Passado" (Flashbacks of a Fool); 2008; Baillie Walsh
Filme que me surpreendeu muito por ter sido tão bom (quando não esperava isso dele). Esta cena em especial em que os dois fazem o playback desta canção dos Roxy Music, fica bem presa na cabeça e a música não sai dela tão cedo. Boa banda-sonora, mas esta é sem dúvida a que nos reporta de imediato para este filme.

7- "O Castelo Andante" (Howl's Moving Castle); 2004; Hayao Miyazaki
Numa lista destas tinha que incluir a música ou canção de algum filme de animação. Pensei de imediato na Disney (visto ser uma fã acérrima da mesma) mas acabei por não resistir aos encantos desta música maravilhosa, que depois de ter visto este filme de Miyazaki, jamais me abandonou - é belissima, não estão de acordo? E mal a ouço, as imagens do filme passam na cabeça.

6- "Harry Potter e a Pedra Filosofal" (Harry Potter and the Sorcerer's Stone); 2001; Chris Columbus
"Hedwigs Theme" - John Williams
Quem (apesar de alguns não gostarem da história deste pequeno feiticeiro) não associam de imediato a música? Acho que será impossivel, é de imediato associada a Harry Potter, por mais que não gostem dos filmes.

5- "Sozinho em Casa" (Home Alone); 1990; Chris Columbus
"Home Alone Main Title" - John Williams
Mais uma música deste compositor. Esta desta vez, pertence ás minhas memórias de criança/adolescente. Quem não via as aventuras desta criança sozinha (sempre esquecida pelos pais) no Natal? Passava sempre na televisão portuguesa várias vezes. Além de me recordar de imediato do filme, também me faz lembrar o Natal - é o chamado 2 em 1.

4- "Serenata á Chuva" (Singin' in the Rain); 1952; Stanley Donen e Gene Kelly
Assim como teria que escolher um filme de animação, na minha lista teria de estar incluido, um musical. Até porque uma lista sobre bandas-sonoras, não poderia estar completa, sem incluir um musical.
Para mim esta é sem dúvida a canção que mais se associa a musicais e ao filme em questão (até tem o mesmo título que o filme).

3- "O 5º Elemento" (The Fifth Element); 1997; Luc Besson
Lindissima! Esta ópera é dificilmente esquecida e é um dos momentos brilhantes do filme de Luc Besson. E a reviravolta que se dá na prórpia música é magnifica. Mal a ouço, associo-a imediatamente ao filme.

2- "O Meu Tio" (Mon Oncle); 1958; Jacques Tati
"Mon Oncle Theme" - Franck Barcellini
Esta não poderia faltar... se há alguma música que associo de imediato é esta ao personagem de Jacques Tati (o Mr. Hulot). Magnificos filmes que Jacques Tati realizou e este "O Meu Tio" é fantástico e esta música sempre a acompanhar.

1- "Uns e os Outros" (Les Uns et les Autres); 1981; Claude Lelouch
"Bolero" - Ravel
Em 1º lugar só poderia escolher esta música. Lembro-me do filme, mas do final é o que me recordo mais, porque termina desta maneira fantástica. Esta música é utilizada noutros filmes, mas o filme que me salta logo á cabeça é de imediato "Uns e os Outros" - final espectacular!

ATENÇÃO: Para verem os videos, clicar no nome da canção/música.

Monty Python e o Cálice Sagrado

O Rei Arthur (Graham Chapman), procura bravos cavaleiros para se juntarem a ele na corte em Camelot, á volta da famosa Távola Redonda. Encontra então Sir Galahad, o puro (Michael Palin), Sir Lancelot, o bravo (John Cleese), Sir Bedevere, o calmo (Terry Jones) e Sir Robin the Not-Quite-So-Brave-as-Sir Lancelot (Eric Idle).
Quando chegam a Camelot decidem não ficar por lá e o Sol pede-lhes para irem em busca do Cálice Sagrado (Holy Grail) e assim vão viver aventuras enquanto tentam encontrar este Cálice Sagrado.
Será que o conseguirão encontrar?




Este segundo filme que vi dos Monty Python, fez-me realmente acreditar que o primeiro que vi, foi mesmo uma má escolha, pois gostei bastante deste, foi realmente muito bom - prova-se mais uma vez, que uma má decisão, por veses, pode afastar-nos de algo muito bom.
A critica á História e aos eventos que se passaram naquela época (os julgamentos ás bruxas, a peste negra,...) está muito bem conseguido.
A cena da Ponte da Morte é uma das minhas preferidas:



E adoro os Cavaleiros que dizem "Ni" e depois:

"Knight 1: We are now no longer the Knights who say Ni.
Knight 2: NI.
Other Knights: Shh...
Knight 1: We are now the Knights who say... "Ekki-Ekki-Ekki-Ekki-PTANG. Zoom-Boing. Z'nourrwringmm."

Aconselho este filme a todos que gostem de humor negro e que gostem de filmes satiricos.

NOTA: 8/10

Monty Python e o Cálice Sagrado (Monty Python and the Holy Grail)
Realizador: Terry Gilliam, Terry Jones
Interpretes: Graham Chapman; John Cleese; Eric Idle;...
Definições: 91 min. / Cor / 1975 - UK

20 de fevereiro de 2011

O Sentido da Vida

Porque estamos cá?
O objectivo deste filme é tentar perceber o sentido da vida, com vários sketches que vão representar desde o nascimento até á morte.
Sempre em tom de comédia e criticando de forma irónica os vários temas que apresentam.
Será que depois de vermos este filme compreenderemos finalmente, o sentido da vida?




Foi o primeiro filme que vi deste grupo inglês famoso - Monty Python - e devo dizer que comecei muito mal, pois o filme, quanto a mim, foi aborrecido e apesar de nunca ter visto nada deste grupo acredito não ser este o melhor filme deles.
Tirando um ou outro sketch que realmente foi bom, todo o filme foi ridiculo para mim - e sim, eu sei que não é suposto ter nexo.
Não me agradou minimamente, mas irei ver outros filmes deste grupo e depois direi se afinal foi mesmo uma má escolha inicial ou se continuo a não gostar do trabalho deles.

NOTA: 2/10

O Sentido da Vida (The Meaning of Life)
Realizador: Terry Jones
Interpretes: John Cleese; Terry Gilliam; Eric Idle;...
Definições: 107 min. / Cor / 1983 - UK

19 de fevereiro de 2011

Último aviso para quem queira participar

É já amanhã que termina o prazo para me enviarem as vossas participações para a minha iniciativa "My Movie Tracks", cliquem aqui para mais informações se ainda não souberem ou para quem quer participar e já se esqueceu como se faz ;) De acrescentar que também têm que me enviar as justificações para as vossas escolhas - não é preciso nada de extraordinário, mas para percebermos o porquê das vossas escolhas.
Também aproveito para lembrar os bloggers que já enviaram as suas escolhas, para não se esquecerem de me enviar as justificações até amanhã.
Obrigado a todos que já participaram ;)

Principe da Pérsia: As Areias do Tempo

Dastan (Jake Gyllenhaal) é adoptado pelo rei e passa a pertencer á familia real.
Quando os seus irmãos, Tus (Richard Coyle) e Garsiv (Toby Kebbell) e seu tio Nisam (Ben Kingsley) decidem atacar Alamut, Dastan faz um ataque surpresa muito berm sucedido e apodera-se de uma adaga.
A bela Princesa Tamina (Gemma Arterton), capturada, aceita casar com Tus, mas o rei acha que deverá ser antes Dastan a casar-se com ela.
Dastan acaba por oferecer a seu pai uma túnica e quando o rei a veste, morre, pois esta está envenenada.
É aí que Dastan tem que fugir, para conseguir perceber quem fez uma coisa daquelas e o quis incriminar, mas Tamina foge com ele, pois quer recuperar aquela adaga com poderes misteriosos e o pior é que não é só ela que a quer e Dastan, depois de Tamina tentar assassiná-lo, vai perceber quão poderosa esta adaga é.
Será que Dastan vai conseguir descobrir quem matou o seu pai e o incriminou e limpar o seu nome?




Este filme (baseado no famoso jogo de computador) quanto a mim foi óptimo, maravilhoso de se ver.
Adoro filmes de aventura e este tem todas as caracteristicas essenciais para um bom filme de aventura.
Realizado por Mike Newell e produzido por Jerry Bruckheimer, só poderia dar certo.
O elenco magnificamente bem escolhido - Jake Gyllenhaal, Ben Kingsley, Alfred Molina e a actriz revelação Gemma Arterton.
Os efeitos especiais estão muito bem feitos (e são muitos) e a banda sonora a cargo de Harry Gregson-Williams que nos transporta de imediato para as areias do deserto - de salientar a lindissima canção "I Remain" cantada por Alanis Morissette.
Eu adorei este filme e acho que a Disney não é sem dúvida só filmes de animação - este é uma das provas para mim (entre muitos outros). Aconselho sem dúvida a vê-lo.

NOTA: 9/10

Principe da Pérsia: As Areias do Tempo (Prince of Persia: The Sands of Time)
Realizador: Mike Newell
Interpretes: Jake Gyllenhaal; Gemma Arterton; Ben Kingsley;...
Definições: 116 min. / Cor / 2010 - USA

18 de fevereiro de 2011

Robin Hood

Após a morte de King Richard (Coração de Leão) em França, Robin Longstride (Russell Crowe) volta para Inglaterra, juntamente, com os seus colegas e amigos - Will Scarlett (Scott Grimes), Alan A'Dayle (Alan Doyle) e Little John (Kevin Durand).
Ao chegar a Inglaterra encontram Sir Robert of Loxley (Douglas Hodge), assim como os cavaleiros que o acompanhavam mortos e Robin promete que vai entregar a espada de Loxley a seu pai Walter (Max von Sydow) em Nottingham.
Em Nottingham, Robin vê as injustiças da coroa cometidas pelo terrivel Sheriff of Nottingham (Matthew Macfayden) - uma delas é o perigo de Walter ficar sem as suas terras, injustamente.
Lady Marion (Cate Blanchett) acaba por ajudar Robin nesta demanda e Robin além de ter de combater Sheriff of Nottingham, terá também de combater Godfrey (Mark Strong) que tenta a todo o custo pôr todos contra King John (Oscar Isaac) e conseguir assim que a França invada a Inglaterra.
Será que Robin vai conseguir salvar Nottingham e mais importante ainda, a Inglaterra?




Sei que devo ser quase a única que adorou este filme, mas não faz mal.
Gosto bastante dos filmes de Ridley Scott e entre "Gladiador" e este, é óbvio que prefiro o primeiro. Mas este convenceu-me perfeitamente.
Fiquei agarrada até ao fim e o tempo passou a correr - mais ou menos duas horas e vinte minutos que passarm depressa.
Tem cenas maravilhosas, cenas de luta magnificas (a da praia é deliciosa para a vista), o elenco maravilhoso (muito bem escolhido) e os cenários lindissimos.
Achei o filme "delicioso" e aconselho-o a todos, principalmente, a quem gosta como eu de filmes de época.

NOTA: 9/10

Robin Hood (Robin Hood)
Realizador: Ridley Scott
Interpretes: Russell Crowe; Cate Blanchett; Matthew Macfayden;...
Definições: 140 min. / Cor / 2010 - USA; UK

17 de fevereiro de 2011

Dragonball: Evolução

O jovem Goku (Justin Chatwin) depois de chegar de uma festa da sua amada Chi Chi (Jamie Chung) depara-se com a sua casa destruida e o seu avô adoptivo Gohan (Randall Duk Kim) prestes a morrer. Mas o avô Gohan não morre antes de avisar Goku que tem que encontrar o Mestre Roshi (Yun-Fat Chow) e conseguir encontrar as 7 bolas (Dragonball) antes de Lord Piccolo (James Marsters) as encontre todas, para poder assim, dominar o Mundo.
Goku acaba por conhecer a irreverente Bulma (Emmy Rossum) que acaba por ajudá-lo nesta demanda.
Será que Goku vai conseguir encontrar as 7 bolas mágicas antes do diabólico Lord Piccolo?




Que dizer sobre este filme? Não estava á espera que fosse nada de extraordinário, mas excedeu-se negativamente.
Um filme muito pobre, sem lógica alguma e as cenas de luta não são nada crediveis a meu ver (e poderiam ter sido as únicas a salvar um pouco o filme).
Um filme que não recomendo a ninguém - nem mesmo aos fãs de Dragonball, porque o filme é altamente decepcionante.

NOTA: 3/10

Dragonball: Evolução (Dragonball: Evolution)
Realizador: James Wong
Interpretes: Justin Chatwin; James Marsters; Yun-Fat Chow;...
Definições: 85 min. / Cor / 2009 - USA; UK; Hong Kong

16 de fevereiro de 2011

Regras Para Ser Feliz

Rachel (Lindsay Lohan) é uma adolescente rebelde que está sempre metida em complicações e a sua mãe, Lilly (Felicity Huffman) toma a única decisão que não queria tomar: mandar Rachel para casa de sua mãe, a inflexivel Georgia (Jane Fonda).
Já em casa da sua avó, Rachel vai perceber que tudo tem que estar feito na base das regras de Georgia (percebe-se assim o título original: Georgia Rule) e percebe porque é que a mãe não se dá com a avó.
Mas ao desabafar um segredo seu chocante, Lilly volta para descobrir se é verdade o que a sua filha conta. E estas três mulheres a viverem debaixo do mesmo tecto vão aprender muitas coisas umas sobre as outras.
Será que elas vão conseguir meter o passado para trás e reatarem os laços que outrora foram quebrados?




O realizador Garry Marshall já presenteou o público cinéfilo, com muitos filmes deste género, mas este filme em especial, foi bastante interessante devido ao choque das três gerações e a aprendizagem que todos têm que fazer para conseguirem criar os laços afectivos necessários para se unirem.
O trio de protagonistas (Fonda / Huffman / Lohan) conseguiu uma quimica muitissimo boa.
De um modo geral, gostei bastante e aconselho-o a todos - se calhar os rapazes não tanto, porque não gostam tanto de filmes mais lamechas.

NOTA: 8/10

Regras Para Ser Feliz (Georgia Rule)
Realizador: Garry Marshall
Interpretes: Jane Fonda; Felicity Huffman; Lindsay Lohan;...
Definições: 113 min. / Cor / 2007 - USA

15 de fevereiro de 2011

Mata Hari

Mata Hari (Greta Garbo) é uma espia alemã que trabalha em Paris, durante a I Guerra Mundial.
Seduz o General russo Shubin (Lionel Barrymore) que está "doido" por ela e consegue seduzir o Tenente Alexis Rosanoff (Ramon Novarro), mas este ama-a de verdade e ela só se vai aperceber disso tarde demais.
Com a policia atrás dela, só precisam de ter as provas suficientes para a prender por espionagem - e quem é preso por espionagem é morto.




Este filme foi para mim uma decepção, ainda assim mediano.
Um filme de ritmo muito lento - demasiado a meu ver - e poderiam ter feito mais e melhor.
O final para mim foi o pior e achei-o um pouco fraco demais - aqueles fins que fica a parecer que só tiveram dinheiro para o filme e o fim é a despachar porque já não têm mais para gastar.
Pontos a favor: a magnifica interpretação de Greta Garbo (sempre maravilhosa) e a quimica entre ela e o actor Ramon Novarro (tão boa, que se chegou a constar que tiveram um caso na vida real).
Outro ponto forte é a brilhante cena de dança, que mostra o porquê dos homens se renderem ao charme desta mulher.
Ainda assim não me convenceu e ficou apenas pelo decente.

NOTA: 5/10

Mata Hari (Mata Hari)
Realizador:  George Fitzmaurice
Interpretes: Greta Garbo; Ramon Novarro; Lionel Barrymore;...
Definições: 89 min. / P/B / 1931 - USA

14 de fevereiro de 2011

Jogos de Guerra

David (Matthew Broderick) um apaixonado por computadores, acaba por, acidentalmente, entrar através do seu computador de casa, no Departamento de Defesa Americano, mas pensa que acedeu apenas a mais um jogo de guerra.
Só que este não é um jogo de guerra comum e se ele e a "namorada" Jennifer (Ally Sheedy) não conseguirem encontrar o criador do WOPR (War Operation Plan Response), o que parecia um mero jogo, poderá ter consequências gravissimas e despoletar a III Guerra Mundial.
Será que vão conseguir encontrar o génio informático Falken (John Wood) - quem criou Joshua/WOPR - a tempo de evitar uma catástrofe?




Este filme dos anos 80 é bastante interessante (isto, principalmente, se pensarmos que foi feito nessa época) e foi também o primeiro papel de relevância para Broderick.
Quanto a mim, a melhor cena é quando Joshua começa a simular a probabilidade de vitórias e derrotas numa guerra e chegar á conclusão que ninguém sairia vitorioso: "A única maneira de vencer é não jogar".
É um filme que se vê muito bem e que mais uma vez o achei bom e interessante (é sempre interessante pensar se realmente se pode começar uma guerra com um simples erro).
É dos anos 80 e está desactualizado??? Até pode, mas ainda assim interessante.

NOTA: 7/10

Jogos de Guerra (WarGames)
Realizador: John Badham
Interpretes: Matthew Broderick; Ally Sheedy; John Wood; ...
Definições: 114 min. / Cor / 1983 - USA